Terrible two

March 20, 2018

         

 

          Nem sempre é fácil entender certos comportamentos dos filhos. Um bebê calmo que segue modelos e é dependente de seus pais, gradualmente, inicia sua exploração mais ativa do mundo. Arrasta, engatinha e, a partir dos 10 meses, está apto a andar e, em seguida, correr. Com essa mobilidade conquistada, a criança vive suas curiosidades e seus próprios desejos.

            A linguagem também traz profundas transformações no desenvolvimento dos pequenos. É comum receber pais confusos com essas mudanças e que, rapidamente, procuram ajuda digitando “terrible two” em sites de busca. Mas, existe alguma verdade nessa expressão “terríveis dois anos”?

            Não chamaríamos de “terríveis”, porém entendemos o desabafo do pai quando diz que aquela criança não é a mesma de alguns meses atrás e que seu filho parece ter se transformado em um pequeno mal educado. Vamos entender o que acontece. Pra começar, saiba que faz parte do desenvolvimento da criança e que será necessário uma boa dose de paciência da família. Inicialmente, o bebê é muito dependente dos pais para comer, falar... suas possibilidades de ir e vir são restritas, começa por arrastar e segue para o engatinhar. Perto dos 2 anos a criança explora mais o mundo ao redor, anda e corre querendo desvendar suas curiosidades. A linguagem é fator importante nesse processo, pois chega recheada de um sistema de imagens (a palavra ainda não tem o valor de um conceito).

            A criança, que seguia os modelos dos pais, começa a se perceber como indivíduo de desejos. Ela já consegue caminhar até a geladeira, por exemplo, explorar um doce e, se gostar, falar que quer. A vontade de cumprir o desejo é imediata. Mesmo os pais dizendo que é preciso esperar para comer depois do almoço, a criança busca atender a esse desejo interior. O mesmo serve para diferentes exemplos: uma birra na rua, comportamentos opositivos aos pais e, com pouca maturidade para organizar suas vontades e expressá-las,  a criança grita e diz “não” com maior frequência.

            Estamos falando de três importantes acontecimentos nesse período de transição para a infância: maior mobilidade, início da linguagem e a sensação de auto consciência. Os impulsos para explorar o mundo tornam-se mais possíveis a partir do andar, trazendo mudanças físicas, emocionais e cognitivas. O reconhecimento de si diante do espelho, a descoberta de desejos próprios, além da linguagem são também marcos desse processo.

            Na prática, entenda que não adianta chamar a atenção de seu filho enquanto ele grita ou insiste em contrariar uma ordem sua.  Em muitas ocasiões ignorar uma “crise” funciona bem, porém é necessário educar. Converse, fale o que irão fazer no shopping, por exemplo, e antecipe que não será momento de comprar nada para ele. Para a criança assimilar o que você ensina demora, a aprendizagem se dá por repetição. Portanto, os “terríveis dois anos” não obrigatoriamente são como imaginou. Entenda as principais mudanças desse momento para transformar o “problema” em oportunidade e crescimento para seu filho.

Tags:

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

A importância do ócio para a criança

December 29, 2017

1/2
Please reload

Posts Recentes

November 1, 2018

March 20, 2018

December 29, 2017

December 1, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • whatsapp

© 2017 EDUCA Todos os direitos reservado